Em homenagem a Jorge Angel Livraga,

o Mestre poeta, amigo das Musas, que nos inspira a amar e a viver a poesia.

Do poder da consciência celeste

Com o mais puro da nossa memória

Nascem as nove musas

Tríades inspiradoras da sonhada glória.

Na cadência leve e de apaixonada juventude,

Terpsícore nos embala em sua dança singela:

Simplicidade para encontrar o ritmo da vida,

Fortaleza da lira harmoniosa e bela.

Euterpe, com sua flauta singular e doce,

Reflete a beleza de tornar-se instrumento

Do sopro divino que faz vibrar a alma

Ecoando música em todos os momentos…

Do olhar sonhador de Erato,

Nasce a poesia filha de Eros, o jovem Amor.

Nas flechas mágicas de suave perfume

O verso belo e puro da flor.

Da beleza da rosa à experiência do espinho,

Melpômene nos traz a tragédia da vida

Máscara envolta em profundo mistério,

Dor que merece ser compreendida.

Talia nos recorda o poder da comédia,

Que a tudo veste de contagiante alegria,

Janela que abre endurecidos corações

E desperta sentimentos de pura magia.

Calíope sintetiza lágrimas e sorrisos,

na poesia que inspira o valoroso heroísmo.

Gigantes, cavalheiros, derrotas e vitórias

Aventuras de nobre e encantador lirismo.

Em seus papiros e livros,

Registros fiéis da humana trajetória,

Clio nos ensina em espirais e ciclos

A colher o melhor de nossa história.

Caminhando no compasso do Todo

Que a tudo une em delicado verso

Urânia nos lega a sagrada astronomia

E nos conecta ao mistério do Universo.

E na leveza misteriosa do véu sagrado de Polímnia

Fecha-se o ciclo de harmonia e beleza

Inspiração para transformar hinos em vida

Expressões puras e fiéis da verdadeira Natureza.

Os Mestres nos recordam que a glória é indefinível,

Porém possível de ser vivida e real

Mestres e Musas, presentes divinos,

Estrelas inspiradoras do nosso Ideal.

Gabriela Leite – João Pessoa

Anúncios