Tenho, diante de mim,
Um papel em branco
E a delicada tarefa
de derramar sobre ele
Algo que não seja pranto

Ah, papel, não espere lindos versos !
A saudade segura a caneta e minha mão vibra
Não é tão fácil quanto parece !
Há um mistério entre meu coração e a tua fibra…

Ironia do destino
A um só tempo fera e rouxinol
Eu, poetizar sobre um homem,
Que um dia me pediu para que eu fosse o sol…

Mestre generoso, amor sem reservas
Deixou-me um enigma depois de ir embora:
Como saber o que é vida e o que é morte
Se o sinto mais vivo em mim justo agora ?

Palavras, frases, versos e rimas
Preenchem seu espaço, percebe, papel ?
E até mesmo você que era um simples vazio
Agora é mais pleno
Por ele…Michel…

Alice Fátima
Nova Acrópole – Recife

Anúncios