A mais doce missão é a do poeta
Buscando nos adjetivos, a maneira certa
A frase ideal, a expressão correta
Faz de si um garimpeiro das palavras
Que procura no íntimo de sua caverna
O que não perdeu…
Sua Alma Eterna.

Pra inspiração está sempre alerta,
Calíope, a musa aliada, é guia do poeta.
Destila a emoção, peneira o sentimento.
Faz dele um holocausto libertando-o ao vento
Então, no auge da Primavera da criação…
No equinócio bendito desta estação
Uma nuvem no ar do silêncio se faz presente
Qual chuva generosa em dia quente.
Formando rimas que do céu caem à terra
Libertando para toda gente
O Amor que a Alma Poeta encerra.

Wilson Trannin
Filial Cuiabá

Anúncios