Entardecer, rubro ocaso, horizonte ensangüentado,

sinto seres de dois mundos e o dorso arrepiado

penumbras lunares parecem caminhar

entre mundos que se tocam no limiar

forcas da natureza se encontram, tudo pára

ate o brilhar da lua de luz celeste e clara.

O astro morre pelo céu poente

como naus a tombar de frente.

E o céu, diante de mim, escurece…

cada astro que minha visao toca

fica cravado na alma como uma prece

ao Divino absoluto que meu espirito evoca

Gabriel Lastra
Nova Acrópole – Guará

Anúncios