Por ocasião do  “07 de Setembro” – Dia da Independência do Brasil

Bravo!

Mariana Melo

 

Desde há muito vejo, nesta terra de fortes

Um lampejo

Nos olhos de quem vibra com mil artes.

E um desejo

Fundo e pleno de transformar a dor em odes.

Bravo!

Porque desde cedo, nesta terra de mistério

Marcham

Pés à luta, com corações quentes etéreos.

E bradam

Hinos de vitória, ao destino de um povo áureo.

Bravo!

À saga dos infantes, à aventura de ser grande.

De ser gente

Brava e tenaz, mesmo quando frente a gigantes.

E ser valente

Povo herdeiro de tanta vida prados verdejantes.

Bravo!

Às lágrimas, às feridas por combater o que é vil.

À história

Dos braços gentis que sustentam o manto anil.

À memória

Daqueles que no céu honraram estrelas mil

Bravo aos seus filhos, Brasil!

 

 

Brava Gente Brasileira

                    Enila Nascimento Freitas

 

Brava nação de guerreiros,

Rica em naturais tesouros,

Altares de fé e paixão,

Variedade na União,

Altivez em batalha.

 

Gente amorosa e festeira,

Esportiva e bagunceira.

Na discórdia, fazem farra;

Tem embate: mostram garra.

Esperança é seu lema.              

 

Brasileira é sua raça,

Recheada de contrastes,

Adornada de combates,

Salpicada de graça.

Indígenas no respeito à natureza,

Lusitanos no lirismo das canções,

Escravos na humildade das ações,

Imigrantes no culto à beleza.

Regentes em ação:

Amem a nação brasileira 

 

Brava Gente Brasileira

                                                  Lúcia Helena

Outros virão e dirão: fomos pioneiros,

desbravadores e cobertos de glórias…

E nós diremos que fomos brasileiros,

de cores fortes será a nossa história…

Desbravadora é nossa alegria

que dribla dores e dobra os sofrimentos…

Guerra e conquista é o nosso dia a dia:

sorte adversa, ironizar com versos,

calar com cantos o choro e os lamentos.

Sempre intensos, com plena entrega à vida…

Tão calorosos…de alma colorida,

simples, abertos, tão férteis como a terra…

Se o Sol, vestido de Mitra ou de Apolo,

tocou o solo, talvez nunca  tão ardente

o fez como Tupã abraça a nossa gente…

Brilhantes filhos de Tupã, criativos,

Deus musical, que nos faz tão receptivos

qual na montanha o Pai, de braços tão abertos,

de fé tamanha e fibra verdadeira,

pulsantes, vivos, de corações despertos,

tão envolvente e brava gente brasileira!

 

Anúncios