Image  Estamos na Primavera e a medida que ela passa podemos começar a ver flores até mesmo além dos jardins: no sorriso das pessoas, em momentos de alegria ou quando descobrimos algo novo.

      A estação não poderia estar mais propícia para esta bela poesia:

 

Primavera

                                          Lúcia Helena Galvão

 

Na distante vez primeira,

depois de tão árdua espera,

que trouxeste a mim a vida,

ruidosa Primavera,

calorosa, colorida,

florida de tantas quimeras,

recebi-te, comovida,

explosão de cor e vida,

enchestes de sons meus ouvidos

e ouvi de tua voz quem tu eras.

 

Com tuas cores já vestida,

abriu-se, ante mim, outra era.

Com tua força, fiz-me inteira,

de fibra e de fé verdadeiras

eu fui, por tua Luz, investida.

 

Lancei minha vida em teus braços;

embalaste os meus sonhos,

sopraste, em meu coração,

a energia dos inícios,

propulsão que vence espaços,

razão que faz plena a alma,

não de ânsia aos doces frutos,

mas de amor e sacrifício.

 

Mas sabes da cíclica noite,

mas sabes que chega o inverno.

Já sabes que oscilam os passos

que trilham o caminho eterno.

Nem sempre a força é tamanha,

nem sempre é ativa a memória.

Às vezes, a noite é estranha,

sem cores, sem luzes, sem glória.

 

Mas eis que a tua energia

redime e resgata, qual ponte.

É dia, e eis que teu Raio Verde

ressurge, cruzando o horizonte.

 

Dou graças ao Ser que te envia

por tenacidade tamanha,

pois, com tua simples presença,

renova de cor e harmonia

e invade de Luz a cidade

que erguemos, no alto da montanha.

Anúncios