O Dia Mundial de Poesia foi instituído pela Unesco, no ano de 1999, em sua 30a conferência, com o objetivo de promover a leitura e escrita de poesia ao redor do mundo.

Hoje o Acrópole Poética celebra com um belíssimo poema escrito pela Professora de Filosofia e poetisa Lúcia Helena Galvão

 

Apelo da Alma:

Se me libertas, te prometo ensinar

de todas as nações

ao Deus libertador, veraz e vivo.

Abater os ídolos, privar de culto

a cada deus limitativo,

e aos que de Deus se servem e a Deus não servem.

Lançar, por direito, a sede e o estandarte

contra o vício covarde.

Chamar à liberdade a alma serva,

Humilhar a soberba.

Serão templo o céu, altar as estrelas.

 

Tommaso Campanella (1568/1639)

 

Se me libertas, tomarei tua voz

e te direi coisas que, em sonhos, já ouviste

em melodias e vozes esquecidas

ao longo de miríades de vidas,

 e que cabe a mim te relembrar.

 

Tomarei tua mão e tornarei a te ensinar

como dar passos pela estrada verdadeira…

Tua esperança primordial, primeira,

e tua energia, antes esgotada,

explodirão como em fogos de artifício,

pois que fazer com que tu vibres como o Fogo

sempre tem sido e será meu Sacro Ofício.

 

Se me libertas, soprarei teu Nome

aos teus ouvidos, ávidos na espera,

já tão cansados de sons sem sentido,

já tão vazios e sedentos, teus ouvidos,

que eu virei preencher com maravilhas…

Conduzirei os teus passos nesta trilha

que tanto sonhas e tão pouco pisas,

rumo à Fronteira além das fronteiras,

rumo à Verdade sem rosto ou divisas…

 

Tanto a te dar eu tenho, se me libertas!

Possuo asas deslumbrantes e potentes

para alçar voo desde este casulo à casa

da qual caímos para esta terra, um dia,

e à qual juntos, voltaremos novamente.

Guardo para ti, enfim, milhões de coisas belas,

como a visão  que te fará elevar

os olhos límpidos e o claro coração,

para que saibas que, de fato, são

Templo o Céu e Altar, todas Estrelas.

 

E é neste Templo e neste Altar que, em doce calma,

celebrarás o matrimônio com tua Alma.

 

 

Anúncios