Deus do Amor: Segundo Platão, Eros era o mais antigo dos Deuses. Ele não se refere ao Eros que estamos acostumados a ver nas estátuas ou nas pinturas, flechando os seres humanos para colocá-los em armadilhas. Diz a Mitologia que, quando o mundo não existia, quando tudo era caos, quando todas as coisas estavam em potência, mas não haviam surgido, nasce um impulso, uma força tremenda capaz de organizar tudo, de unir, de dar forma e vida. Esta força é Eros, a qual se refere Platão, capaz de unir todas as coisas e seres.

Acrópole Poética selecionou poemas sobre o Amor, como inspiração para o Dia dos Namorados que se aproxima:

SONETO DO AMOR COMO UM RIO ,

                                Vinícius de Morais

Este infinito amor de um ano faz
Que é maior do que o tempo e do que tudo
Este amor que é real, e que, contudo
Eu já não cria que existisse mais.

Este amor que surgiu insuspeitado
E que dentro do drama fez-se em paz
Este amor que é o túmulo onde jaz
Meu corpo para sempre sepultado.

Este amor meu é como um rio; um rio
Noturno, interminável e tardio
A deslizar macio pelo ermo…

E que em seu curso sideral me leva
Iluminado de paixão na treva
Para o espaço sem fim de um mar sem termo.

 

As Sem-razões do Amor

        Carlos Drummond de Andrade

Eu te amo porque te amo.
Não precisas ser amante,
e nem sempre sabes sê-lo.
Eu te amo porque te amo.
Amor é estado de graça
e com amor não se paga.

Amor é dado de graça,
é semeado no vento,
na cachoeira, no eclipse.
Amor foge a dicionários
e a regulamentos vários.

Eu te amo porque não amo
bastante ou demais a mim.
Porque amor não se troca,
não se conjuga nem se ama.
Porque amor é amor a nada,
feliz e forte em si mesmo.

Amor é primo da morte,
e da morte vencedor,
por mais que o matem (e matam)
a cada instante de amor.

SONETO CV

                William Shakespeare

Não chame o meu amor de Idolatria
Nem de Ídolo realce a quem eu amo,
Pois todo o meu cantar a um só se alia,
E de uma só maneira eu o proclamo.

É hoje e sempre o meu amor galante,
Inalterável, em grande excelência;
Por isso a minha rima é tão constante
A uma só coisa e exclui a diferença.

‘Beleza, Bem, Verdade’, eis o que exprimo;
‘Beleza, Bem, Verdade’, todo o acento;
E em tal mudança está tudo o que primo,

Em um, três temas, de amplo movimento.
‘Beleza, Bem, Verdade’ sós, outrora;
Num mesmo ser vivem juntos agora.

Anúncios