blog

Anualmente a Organização Internacional Nova Acrópole – Brasil Norte, realiza o Concurso de Poesia para Damas, cujo tema desta sétima edição contemplou as “Virtudes Humanas”.

Consoante ao segundo pilar de atuação de Nova Acrópole – a Cultura – a Organização tem como um de seus objetivos cultivar a Arte como via de conhecimento e beleza.

Assim, entre alunos e professores são realizados concursos de poesia, oficinas de música, teatro, dança etc. complementando o Curso de Filosofia Prática. Procure uma sede de Nova Acrópole mais perto de você!

A seguir os poemas classificados:

1º lugar:

 

“PROFUNDIDADE”                 

 

Muitas vezes, o tempo me ouviu refletir sobre a profundidade.

Até que um dia ajudou-me a encontrar sua simplicidade, e

num diálogo claro e sereno volveu  as barreiras do meu entendimento,

e então se pronunciou, expondo seus argumentos:

“Segurando tuas mãos,

Desci  vários degraus do infinito.

Em cada paragem, descansei contigo,

Em propícios movimentos,

Antes de chegar  à planície:

Campo de experiências

E entretenimentos.

Agora, és tu que precisas

Envolver minhas mãos com os teus dedos,

Para ultrapassar com segurança

As fronteiras de Maya, em segredo,

E vencer, do caminho, as iscas

Que se interpõem à bem-aventurança”.

Mas…  Onde estão os degraus da escalada?

“Em ti, e somente em ti!

Num terreno sutil, tênue por natureza,

Que só reconhece material

De igual qualidade e nobreza,

Mas de tal força, energia e poder

Que dá vida a tudo que toca e vê.

Ouça, te direi tudo!

O ”faz de conta” não alcança o nirvana,

É como entulho no sopé da montanha.

Portanto, unta com o óleo da sinceridade

Tudo que fazes, dizes e pensas,

Por dever, sem buscar recompensa.

Assim, constroem-se  degraus mágicos

No sacro-ofício de unir céu e terra

Numa aliança com o eterno,

Quem por tua alma é ávido.

Começa nas “pequenas coisas”,

Alicerces para o porvir,

No abraço, no olhar e no sorriso,

Que qual a luz do sol

Ilumina, envolve e aquece,

A quem dá e a quem recebe.

Toque de almas jamais se esquece,

E se entrelaçam no coração indelével.

Só assim, fincarás raízes,

Com pegadas etéreas,

Na Terra sem terra.

Banhando com seu halo sagrado

As coisas da terra.

Fora desse “labor”,

Entre lágrimas e alegrias,

Na busca da profundidade,

Azeite que alimenta a chama,

E perfuma com a flor da humildade,

O  altar da vida interior:

Fina fábrica da sabedoria.

Tudo o mais, máscara fugaz,

Que se dispersa  nos vendavais”.

E como posso saber

Da profundidade em meu Ser?

“Nas circunstâncias “insufladas”

Com vestimentas douradas,

Saberás da semeadura, na colheita,

Sob o pêndulo da adversidade

Que dobra a soberba,

Mas não dissipa o poder

De  permanecer de pé,

Jamais  ao léu:

O errante, aprendiz do caminho.

Movimenta este ”lápis”, que ora

Contorna   a  face da tua História,

Rumo ao perdurável e Incomensurável:

Coroa do teu “Rei Divino”.

Oh! Paciente Tempo!

Agradeço  por ser meu aliado, desde os inícios.

E pelo despertar de uma  nova aurora,

Que me convida a viver, agora.

Alinalde da Silva Lima – Nova Acrópole Sede Nacional

 

 

 

2º Lugar

Mística Lua

É noite…

E misteriosamente me desperto

Ela, como imenso imã me atrai

Na janela apoio… a sinto tão perto…

Oh Lua! Oh Mãe! Em mim adendrai!

– Soberana, por que me despertaste?

Ouço a um chamado desconhecido

Forte brado, foste vós que entoaste?

Vais dissipar o que tem me aflingido?

– Filha, cale… ouça… sinta… e veja…

A todo tempo me direciono a ti!

Venha, e em minha alva barca veleja

Deixe-me pelo mar te conduzir.

Tua estrela guia é Vênus, o Amor.

Não há dúvidas, disso tens certeza…

Incerto é teu caminho interior

Qual o raio de tua natureza?!

É a sede de vida e de mistério

É a Boa Vontade por trás da ação

São compromissos levado a sério

São castos votos de abnegação.

Em tudo busque uma finalidade

Que cerimoniais sejam teus gestos!

O trabalho eficaz, sem ansiedade…

Essa é a nobre trilha que te atesto!

– Trouxeste novo brilho ao meu olhar

Vibraste em mim a força adormecida.

Mas pergunto antes que acabe o luar

Qual a fonte que emana tanta vida?

– Ela é a chave que guarda a magia

O cisne celeste teu portador

Da Dama é a mais sublime energia:

É a Mística o caminho do Amor!

Júlia Rezende Fonseca – Nova Acrópole Sede Nacional

 

 

 

3º lugar:

Doar Sem Medidas

Oh! alma minha,

Há tanto tempo tens rogado,

por  tesouros  celestes…

A efemeridade que rejeitas, fascina num instante

Mas falseia a liberdade…e arrefece.

Uma nobre saga, é o que  buscas

Um rei, uma estrela, uma verdade.

E a dor… sagrada no coração do discípulo

Ao cair da noite, se acentua.

Buscando ver na penumbra, o mistério…

Onde essa saga conduz?

Ouve um leve sussurro

Confuso para a mente,

Só o coração intui!

E Os mestres, muralhas sagradas

Em silenciosas preces, almejam

Transpormos as barreira,

por mais estreita que a senda seja.

Em nossas mãos, depositam a confiança

para portar armas mágicas…

e os segredos de seu manejo?

Somente pelo tempo reveladas.

Singela missão dos discípulos

Construtores de destinos,

Velam pela  sua alma

Como o mais sagrado fogo dos templos

E de cada experiência, recolhem a essência.

Segredos de seu idílio

As sementes, fruto do amor cultivado,

Ofertadas com honra e sacrifício

Saciam a sede dos homens,

Acalmam seu pranto e bramido,

Numa singela compreensão da vida

Reconhecem o real, do ilusório

O falso do verdadeiro…

Repousa sua alma, num santuário sagrado

De nobres heróis, dos quais somos herdeiros,

Os ventos, que não erram a direção

Transformam o silêncio da flauta

Em tão delicada canção…

Conduz-nos a senda verdadeira,

De sermos discípulos e aportar…

Com nossa lança, escudo e vontade

á natureza, que tudo dá!

Misteriosa força renovadora

Reveste os homens, de inteira dação

Porta a virtude, sublime, da dádiva!

Sagradas ofertas, de seu coração!

Sua glória, ecoa pela eternidade

pois  confiam na mágica  da vida!

Ouço profundos anseios de sua alma:

Gerar e doar sem medidas!

Lívia Ataide Lima – Nova Acrópole Rio Verde

 

Anúncios