Gerson Miranda

Tu que ousas por os pés
Rumo ao desconhecido
Remando contra as marés
Buscando o que jaz esquecido

Tu que sequer te conheces
E, com amor, segues lutando
Teu destino tu o teces
Com as armas de Vulcano

Tu que ainda te confrontas
Com o fogo das paixões
Entre sombras te encontras
Mergulhado em ilusões

Tu cujo coração acolhe
As sementes do saber
E o preconceito abole
Da essência do teu Ser

Tu que vibras no combate
E não dá tréguas ao inimigo
A valentia do deus Marte,
Ao combater, levas contigo

Tu que tens por Ideal
Render-te apenas à Verdade
E devotado ao que é Real
Enfrentas tudo que te invade

Tu que sonhas vislumbrar
A nobre face da justiça
Não te cansas de batalhar
Contra a ilusão que te enfeitiça

Tu que buscas, com vontade,
Despertar a consciência
Para elevar-te à divindade
Que anima a tua essência

Tu que não te envaideces
Nem te esconde do serviço
Tu que tens o que careces
E marcha ao encontro disso

Tu que vives cada momento
Como teu último capítulo
És um divino instrumento
Tu, de fato, és um discípulo.

Anúncios